top of page

Gestão horizontal e remuneração: Como resolver esse impasse?

Atualizado: 5 de jul. de 2022



Temos orçamento disponível para oferecermos ajustes salariais para a equipe, mas nossa empresa tem gestão horizontal… Quem vai decidir quais membros receberão aumento e quanto cada um deles receberá? Será que a complexidade do Self Set Salaries e da Salary Fórmula são as únicas formas de decidir remuneração? Como dar ao time condições para que tome essa decisão com transparência e de forma justa?

Esses são dilemas de empresas com modelos de gestão horizontal quando o assunto é remuneração. Isso porque, além não possuir a figura de um gestor que centraliza as decisões, gestão horizontal é um modelo mais participativo, em que valorizam-se as decisões coletivas, responsabilidade compartilhada sobre as ações e resultados, comunicação fluida, processo transparentes, autonomia dos membros e dos times e um senso aguçado de colaboração. Dessa maneira, surge a questão: como definir remuneração valorizando esses princípios?

Os modelos tradicionais de remuneração são top-down, o que fere a essência da gestão horizontal. Então ter um gestor que diz quem deve receber aumentos é, com certeza, uma opção incoerente. Colocar toda a equipe numa sala para decidir o que será dado a quem, ao modo Money Pile, funciona para equipes pequenas, mas se torna cada vez mais demorado e complicado à medida que o time cresce. Usar avaliações 360º, estimulando a participação e opinião de todos para depois um gestor, ou um comitê, vir “passar a régua” e "calibrar" causa no time a sensação de terem feito suas avaliações em vão, além de promover uma inflação nos resultados. Bom, então o que fazer?

Os dois métodos mais conhecidos para resolver a questão da remuneração nas empresas com gestão horizontal são Self-Set Salaries e Salary Formula. Já te contamos neste artigo que o primeiro é uma grande lenda (Se não sabe por quê, corre lá pra entender). Já a Salary Formula, proposta pelo Jurgen Appelo, é uma fórmula composta de itens que a organização considera importantes para a definição dos salários. Um exemplo de uso desse formato é da empresa Buffer, que usa duas variáveis em sua fórmula, o cargo e o custo de vida:


O trabalho para encontrar uma fórmula que seja capaz de estabelecer bem os critérios que atendam à organização, às pessoas e conciliá-los com valores realistas é enorme. E mesmo assim, sempre escapará algo importante da singularidade de cada pessoa que não pôde ser captado pela fórmula. Pior: a fórmula, geralmente, depende do nível de cada pessoa. Quem decide o nível de cada pessoa? Quem decide quem recebe promoção de nível? Voltamos à estaca zero.

Ambos os métodos citados são complexos, ilusórios e dispendiosos de tempo. E aqui acrescentamos mais uma informação importante: segundo pesquisa da Payscale, os maiores índices de satisfação com a empresa são daqueles funcionários que receberam aumentos sem ter que ficar pedindo. Então a pergunta que surge é

“Como remunerar as pessoas de forma transparente e justa, a partir de um processo participativo, com um método simples, que ocupe o mínimo de tempo do time?”

Você deve ter se perguntado se existe um método com tais possibilidades. Sim, ele existe e se chama Team-Set Salaries. A partir dele, empresas com gestão horizontal podem realizar o processo de remuneração de forma completamente coerente com o seu modelo organizacional.

O Team-Set Salaries permite que cada pessoa do time avalie a contribuição de cada membro, designando em sua avaliação o quanto, de fato, conhece o trabalho de cada colega. Assim, cada avaliação é composta dos múltiplos olhares a partir das diversas interações que acontecem em uma organização.

O Percival é a ferramenta que implementa esse método e, ao final das avaliações, aplica um algoritmo exclusivo para encontrar o equilíbrio entre todas elas, de forma que o resultado é uma expressão coletiva sobre o reconhecimento do trabalho de cada pessoa pela equipe. Esse resultado é um ótimo insumo para decisões de remuneração, inclusive para perceber se um colega tem realizado entregas que estão em desacordo com seu nível salarial. Se está entregando mais, é uma ótima sinalização para reconhecimento salarial. Se menos, pode ser momento de uma conversa para entender os motivos.

Se você também quer transformar o processo de remuneração da sua empresa e torná-lo mais coerente com seus valores, faça um teste com o Percival e, se precisar de ajuda, ou quiser entender melhor como o Team-Set Salaries pode ajudar seu time, agende aqui um bate papo com a gente.



Comments


bottom of page